Aos mestres, com carinho

Nesse dia dos professores, gostaria de dedicar algumas palavras a todos os professores que passaram por minha vida e deixaram uma cicatriz em minha personalidade. Seja ela boa ou ruim, tenho certeza que vocês moldaram o profissional que sou nos dias de hoje.
Saúdo também meus colegas de profissão, indivíduos abnegados que sacrificam sua própria luz para iluminar o caminho dos seus estimados alunos. Em um país como o Brasil onde o ofício da docência é desalentado nos mais variados espaços, inclusive pelos próprios professores, note-se que assumir ser professor em nosso país é despertar dois distintos sentimentos, pena e admiração.

Falando por mim, não aceito a pena, pois escolhi de livre e espontânea vontade a profissão que exerço atualmente. No que se refere a admiração, aceito de bom grado, pois é perceptível e conhecida por todos a batalha que travamos diuturnamente nas escolas de nosso país para educar crianças, jovens e adultos em prol de um futuro melhor para nossa nação. Todavia, não quero nessa coluna lamuriar das dificuldades ou sugerir soluções mirabolantes para sanar os problemas da educação. Deixo essa árdua missão para pessoas mais capacitadas do que esse vos escreve. Quero convidá-lo a uma breve reflexão.

Imaginemos por um momento, um mundo sem professor. Um mundo sem tia Maria do Educandário Nunes Silva que me ensinou a ler e a escrever. Um mundo sem o professor Marcos, que incutiu em mim o gosto pela ciência, gosto esse que por muito pouco não me levou a seguir um outro caminho na minha vida. Foi ainda no colégio estadual João Batista Nascimento onde aprendi a amar os livros e as palavras, lugar em que certa vez tive que apresentar um trabalho sobre Tolkien, foi a pedido da professora Joana que explanei para meus colegas de classe um livro que estava lendo do referido autor, esse momento foi decisivo e acabou por despertar em mim uma paixão inenarrável pelas letras. Imagine por um momento, um mundo sem o professor Artur que na faculdade me ensinou lições valiosíssimas que carrego até os dias de hoje, ensinamentos da mais profunda magnificência. É deveras impossível citar todos os mestres que passaram pela minha vida, tão pouco agradecê-los na devida proporção, mas quero nessas humildes palavras, eternizar o meu muito obrigado a todos esses professores que me ajudaram a ser quem eu sou. A verdade é que sem vocês eu não seria eu.

Tenho um infinito orgulho em ser professor e convido meus nobres colegas a compartilharem do mesmo sentimento. Pois, lembremos que Deus em toda sua sabedoria etérea, enviou seu único filho para morrer por nós, derramar seu sangue na cruz e redimir os nossos pecados. Mas antes de fazê-lo, Jesus Cristo dedicou grande parte dos seus dias na terra para ensinar, lecionar e educar milhares e milhares de discípulos que o acompanhavam. O filho de Deus poderia ocupar qualquer ofício, mas foi justamente a docência que o nosso senhor escolheu utilizar para transmitir sua mensagem a todos nós.

Que possamos todos nós professores nos orgulharmos do nosso trabalho, gritar a plenos pulmões e de cabeça erguida que somos mestres, tal como Jesus era. Espero que essa coluna acalente o coração tão sofrido dos professores de nosso país. E se você que me lê tem ou teve um professor que o marcou profundamente, use esse dia para agradecê-lo pela sua existência e por compartilhar um pouco do saber com você.

Prof. Leonardo Lisboa

 

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24h

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Deixe uma resposta