Após derrotas de correligionários, Alessandro diz que eleitor rejeita “política velha dos esquemas e do compadrio”

O presidente regional do Cidadania, senador Alessandro Vieira, afirmou nesta segunda-feira (10), em resposta ao ex-deputado André Moura (PSC), que o eleitor está consciente de que a “raiz dos problemas” enfrentados pela população brasileira é a “política velha dos esquemas e do compadrio”.

Isso levou o senador a concluir que o eleitor rejeita nas urnas os candidatos que se enquadram nesse modelo arcaico de fazer política, o que estaria exemplificado com a derrota de André, que disputou uma das vagas para o Senado em 2018.

Entretanto, o suposto recado dado a André pelo eleitorado sergipano alcançou, na eleição seguinte, o Cidadania, pois cerca de 90% das candidaturas majoritárias lançadas pelo partido de Alessandro foram rejeitadas nas urnas no pleito eleitoral do ano passado.

Das 18 candidaturas a prefeito lançadas pelo Cidadania em 2020, apenas duas restaram vitoriosas. Assim como ocorreu com a delegada Danielle Garcia, outros 15 candidatos do partido foram barrados nas urnas pelo eleitorado sergipano, o qual, segundo Alessandro, rejeita a “política velha dos esquemas e do compadrio”.

No ano passado, o Cidadania elegeu apenas Mário, em Nossa Senhora das Dores, e Dílson, em Tobias Barreto, candidato ligado ao PT. E na capital, Danielle ficou mais de 15 pontos percentuais atrás do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT), reeleito com quase 60% dos votos válidos.

Após derrotas de correligionários, Alessandro diz que eleitor rejeita “política velha dos esquemas e do compadrio”

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe uma resposta