Aracaju utiliza cinema para disseminar a importância de cuidar da saúde mental

De modo a intensificar os serviços de educação em Saúde, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), desenvolve o projeto CineSUSgestão, uma iniciativa que engloba arte e cultura para a disseminação da importância de cuidar da saúde física, mental e emocional.

Na edição deste mês de janeiro, voltada para os cuidados com a saúde mental, a partir da campanha Janeiro Branco, o CineSUSgestão exibiu, nesta quinta-feira, 23, o documentário ‘Longe da Árvore’.

Segundo a coordenadora do Centro de Educação Permanente da Saúde (Ceps), Jane Curbani, o CineSUSgestão tem como base o entendimento de que é preciso discutir educação e promoção em saúde por meio de metodologias instigantes, criativas.

“Entendemos que fazer promoção é trazer a vida, e o cinema é uma das metodologias possíveis para fazer isso, afinal, ele instiga, provoca e conscientiza. Apostamos que as metodologias ativas são as mais potentes para disparar processos de autocuidado”, afirmou.

O projeto tem o apoio da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), que disponibiliza o cinema do Centro Cultural de Aracaju, e é realizado sempre na terceira quinta-feira de cada mês, com a exibição de um filme ou documentário pertinente.

Importância

“Não são filmes, por exemplo, feitos pelo Ministério da Saúde, ou seja, não são campanhas enquadradas, são filmes que falam da vida. Tentamos aproximar o tema de alguma data importante da saúde, e neste mês abordamos a saúde mental, com o Janeiro Branco”, enfatizou.

Para a coordenadora do serviço social e do Programa Bolsa Família da SMS, Sindaya Belfort, o projeto proporciona a construção conjunta de saberes, com trocas de experiências e integração de conhecimentos populares e formais, entre usuários e profissionais de saúde.

“Aqui aprendemos e entendemos que pensar e debater conhecimentos populares também é pensar sobre a saúde pública. O filme “Longe da Árvore” é uma excelente ferramenta para discutir como nossa sociedade aborda a questão da diferença e da diversidade, promovendo o pleno desenvolvimento das pessoas, o respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais, a coexistência e a paz, significado maior da educação”, disse.

Filme ‘Longe da Árvore’

O filme, dirigido por Rachel Dretzin, é inspirado no livro homônimo do escritor e psicólogo norte-americano Andrew Solomon, que há anos estuda os vários modelos de família e discute o lugar ocupado pela questão da diversidade em nossa sociedade. O diretor da Escola Técnica do SUS Aracaju, Murilo Andrade, destaca o conteúdo do filme exibido na edição deste mês.

“A reflexão também inclui sua própria história de vida, a obra conta histórias de cinco famílias, que abraçam as diferenças de suas filhas e seus filhos com base em amor, sensibilidade, aceitação, resistência, empatia e compreensão. Fala sobre a família, aquela em que nascemos e a que construímos, e as relações de afeto na diversidade”, afirmou.

 

 

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes :

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Deixe uma resposta