AVALIAÇÃO EXTERNA VIRTUAL IN LOCO: ADAPTAÇÕES EM MEIO A PANDEMIA

Dayse Xavier de Santana

Pedagoga, Especialista e Consultora Pedagógica

Contato: daysesantana.consultoria@gmail.com

 

Em meio aos conflitos vivenciados por todo o mundo em meio à pandemia, a Educação vem sofrendo constantes adaptações. Desde março de 2020, aulas suspensas deram às Instituições de Ensino uma sensação de estar montando um avião em vôo, com grandes e imediatas propostas de ensino remoto, utilização de plataforma, ferramentas tecnologias, e uma tremenda luta para que nenhum aluno fosse prejudicado, mas a desigualdade de nosso país mais uma vez desfavorece os alunos das escolas públicas, visto que o acesso a internet e aparelhos tecnológicos é algo fora do alcance de muitos, sendo esse ainda um grande desafio.

 

Não obstante tantas situações a serem analisadas, pensadas e repensadas, as Avaliações Externas nas Instituições de Ensino Superior ficaram congeladas, sendo vista como algo que precisaria ser bem elaborado de maneira não imediatista, em meio a tantas adaptações.  Decisão essa de suma importância, levando em consideração o reflexo dessas ações para qualidade do Ensino Superior no Brasil.

 

As discussões e a importante retomada das avaliações externas fazem-se necessárias, pois ao confrontar os números é verificado que desde 2020 somente 51 IES foram avaliadas (entre avaliação de cursos e credenciamentos), quando em 2019 tivemos um número significativo de 540 avaliações consolidadas. Existem muitos processos represados, e a prioridade será para os chamados “Atos de entradas”, ou seja, para Credenciamento Institucional e Autorização de Curso de Graduação.

Desse modo o INEP instituiu a Portaria n.º 165 de 20 de abril de 2021, designando a Avaliação Externa Virtual in Loco. Tudo foi pensado, planejado e testado de maneira a atender às exigências do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) e as necessidades das Instituições.

A avaliação contará com o uso de plataformas tecnológicas que permitirão o acesso remoto às documentações, sistema eletrônico de videoconferência por compartilhamento de telas e as devidas reuniões (virtuais). Mesmo de maneira remota, o acesso às instalações físicas também serão feitos de maneira obrigatória como sempre aconteceu, no entanto será feita a partir de geolocalização em tempo real para fins de comprovação de endereço e através de câmeras. De acordo com o GUIA DE BOAS PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO EXTERNA VIRTUAL IN LOCO, disponibilizado pelo INEP para todas as Instituições de Ensino Superior, “o trânsito entre diferentes ambientes da instituição deve ser realizado com a transmissão contínua de vídeo e áudio, de modo que a comissão possa caracterizar trajetos internos dentro das instalações, como seriam realizados pelas pessoas em trânsito diário normal na instituição. Ao chegar nos recursos ou infraestruturas a serem avaliadas, o operador do dispositivo móvel da IES deve produzir as imagens posicionando-se atrás da câmera, parado ou com ritmo adequado, para evitar a perda de visibilidade ou sincronicidade na transmissão.”

Publicidade:

 

Todas as exigências permanecerão as mesmas do formato presencial, como o envio de documentações com 07 dias de antecedência para análise prévia da comissão avaliadora, bem como as exigências nas análises e organizações documentais. O tempo de avaliação também permanecerá o mesmo, sendo 03 dias para Avaliação Institucional e 02 dias para Avaliação de curso, com horário disponível para acesso dos avaliadores, de 07: h às 20:h.

É necessário ressaltar que existirá uma economia significativa financeira e de tempo, já que não serão necessárias despesas com passagens aéreas e hotéis, e os 02 dias disponibilizados para viagem. Outro ganho com a otimização de tempo é que não serão possíveis os passeios tão comuns aos pontos turísticos que normalmente os responsáveis pelas IES levam os avaliadores a fazer, tomando parte do horário das visitas feitas in loco, ou seja, os avaliadores estarão com foco total ao processo.

 

Feita todas as pontuações necessárias em várias reuniões, e teste com uma IES para que nada saia do controle e que o mínimo de adaptações para melhoria seja feito, no dia 23 de abril de 2021 a Portaria Nº 183, regulamentou o disposto na Portaria 165 de 20 de abril de 2021, que institui a Avaliação Externa Virtual in Loco.

 

Tudo isso foi pensado e adaptado única e exclusivamente para o momento de calamidade que estamos vivenciando com a pandemia ocasionada pelo Covid-19.

Mas fica aqui a seguinte pergunta, será mesmo que com tanta economia e a utilização cada vez maior de ferramentas tecnológicas, após a pandemia as avaliações in loco voltarão ao formato “normal”?

 

 

 

 

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe uma resposta