Como as mudanças no ensino médio impactarão a educação básica

 As mudanças para o ensino médio vêm sendo discutidas desde 2017. Agora, com a implementação prevista para iniciar em 2022, entidades ligadas à Educação têm debatido os desafios que precisarão enfrentar para melhorar a educação básica, principalmente nas escolas públicas, que refletirão no novo ensino médio.

 Para o conselheiro do Grupo Tiradentes, professor Mozart Neves Ramos, vislumbrar o processo de aprendizagem como um projeto de vida é a melhor forma para que as instituições se adaptem ao modelo disruptivo do ensino básico ao superior.

“Esse cenário está exigindo que as pessoas aprendam ao longo da vida, ou seja, acabou a ideia do ex-aluno. Todo mundo precisará aprender ao longo da vida, na perspectiva do projeto de vida. Trabalhar o projeto de vida das pessoas. A instituição que não olha o projeto de vida e olha simplesmente uma etapa da educação dessa pessoa, deixa de ver a completude de todo o processo educacional”, disse.

 Para ele, esse modelo formativo de novas habilidades dialoga com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) atual, que foi alterada por meio de lei e, consequentemente, alterou a estrutura do Ensino Médio. Por isso, o mercado atual requer profissionais preparados para desenvolver habilidades específicas. “Ter uma pessoa com uma sólida formação é apenas ponto de partida. Hoje, é preciso que a pessoa tenha habilidades para trabalhar inovação com criatividade, pensamento crítico, abertura ao novo e saber trabalhar em equipe”, explicou.

 As dez competências gerais da BNCC são:

1) Valer-se do conhecimento para transformar a si e ao mundo;

2) Ser curioso e criativo para resolver problemas reais;

3) Ser sensível para apreciar e produzir arte e cultura;

4) Comunicar-se para interagir em diferentes contextos;

5) Ser digital para conviver e produzir;

6) Compreender o mundo do trabalho para projetar seu futuro;

7) Pensar criticamente para se posicionar no mundo;

8) Conhecer-se e cuidar de si para preparar-se para a vida;

9) Colaborar e comprometer-se com o coletivo para conviver;

10) Ser protagonista e responsável para agir e tomar decisões.

 Mudanças

Baseado nessas características gerais, as principais mudanças no ensino médio serão a ampliação do tempo mínimo do estudante na escola, nova organização curricular, mais flexível. e oferta de itinerários formativos com foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional.

Além disso, 60% da carga horária será destinada ao conteúdo de todas as disciplinas agregadas nas quatro grandes áreas: linguagens, ciências da natureza, ciências humanas e matemática. Os outros 40% restantes serão o percurso formativo a ser escolhido ainda no 1º ano do ensino médio entre as demais áreas do conhecimento e a educação profissionalizante.

Assessoria de Imprensa | Unit

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *