Escolas estaduais que ofertam turmas de correção de fluxo participam de webinário

O encontro tem como objetivo ampliar o conhecimento das equipes pedagógicas no que se refere às concepções teórico-filosóficas do Programa Sergipe na Idade Certa

 

Com o tema “Reconstrução da trajetória escolar: Para quê? Para Quem?”, a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) promoveu nesta quinta-feira, 27, o I Webinário do Programa Sergipe na Idade Certa (ProSIC), direcionado às unidades que ofertam turmas de correção de fluxo, com transmissão feita no canal do YouTube Educação Sergipe. O momento formativo tem como objetivo ampliar o conhecimento das equipes pedagógicas no que se refere às concepções teórico-filosóficas do programa.

 

Implementado na rede pública estadual em 2019, o ProSIC tem o intuito de dar suporte aos professores, coordenadores de ensino e gestores das escolas no desenvolvimento de habilidades e competências dos estudantes, e possibilitar intervenções pedagógicas para promover o avanço das aprendizagens dos estudantes dos anos iniciais e finais do ensino fundamental que se encontram em situação de distorção idade/série. Atualmente, a iniciativa atende a 6.681 alunos de 133 escolas.

 

A diretora de Departamento de Educação da Seduc, professora Ana Lúcia Lima, fez abertura do evento e destacou os avanços do programa. Para a gestora, o sucesso da iniciativa deve-se aos atores envolvidos desde o estudo dos índices educacionais à implementação do Programa Estadual de Correção de Fluxo, caminho que foi trilhado com a colaboração efetiva de professores da rede estadual, parceiros e gestores da Educação. “A gente tem hoje a consolidação de uma proposta pedagógica com cadernos de concepções teórico-filosóficas, vários instrumentais que auxiliam nesse processo e cadernos de atividades para os alunos. Portanto, há uma infinidade de material de suporte do ProSIC”, disse.

 

O presidente do Conselho Estadual de Educação de Sergipe e diretor Regional de Educação 5, professor João Luiz Andrade, lembrou que, infelizmente, Sergipe detém índices elevados de reprovação e abandono escolar, e o programa chegou para mudar essa realidade. Ele também destaca o protagonismo e participação dos professores sergipanos nas ações do programa, que puderam se dedicar ao diálogo para formatar, organizar e fortalecer todas as diretrizes para o cenário sergipano, após consultoria e formações conduzidas pelo Unicef.

 

De acordo com a consultora para Educação do Unicef, Erondina Barbosa da Silva, o objetivo é desnaturalizar a cultura de fracasso escolar, que, em outras palavras, significa romper com a lógica da reprovação, da distorção idade/série e do abandono escolar. “Não se trata de buscar culpados. O que a gente tem promovido juntamente com as secretarias de Educação é justamente a ruptura com as crenças que fazem com que consideremos natural que uma criança e um adolescente sejam reprovados, estejam em atraso escolar e abandonem a escola”, pontuou.

 

O professor Cláudio Macedo, assessor do gabinete do secretário da Seduc, que também participou da abertura do webinário, detalhou os números expressivos que o programa vem alcançando desde sua implantação, bem como a expansão para as unidades de ensino. “O aprendizado exige um certo esforço, mas para nos esforçar é preciso motivação e autoestima, o que constitui algumas premissas do programa para garantir a integração dos alunos matriculados nas turmas de correção de fluxo. Precisamos ter cada vez mais empatia a fim de que nenhum jovem fique para trás”, declarou.

 

Representando os diretores regionais de educação (DREs), a professora Marleide Cruz, diretora da DRE 8, explica que o programa consiste num trabalho de esforço coletivo, que envolveu constante diálogo entre a Seduc, diretorias regionais e escolas estaduais. “Nós abraçamos essa iniciativa e acreditamos que poderia ser possível, e hoje, estamos colhendo bons frutos com o aumento significativo, tanto nas escolas que ofertam a correção de fluxo quanto no número de alunos que agora são atendidos e podem ter uma trajetória de sucesso”.

 

Programação

 

Durante a programação, a professora Roseane Santana, coordenadora do ProSIC na Seduc, falou sobre a proposta pedagógica do programa. Em seguida, a coordenadora do Serviço de Ensino Fundamental, professora Kelly Valença, explanou sobre a formação das turmas, avaliação e progressão; e o coordenador pedagógico do SEF, professor Everton Pereira, apresentou as oficinas e acompanhamento.

 

Para a professora Kelly Valença, “além de o ProSIC ser uma ação local elaborada por professores de Sergipe para professores de Sergipe, como estratégia de enfrentamento à distorção idade/série, a formação continuada é um relevante suporte para a prática pedagógica, além de um momento rico de troca de saberes; tudo isso com o apoio de relevantes parceiros implementadores, como o Unicef, o Instituto Avisalá, o CEDAC e a UFRGS”.

 

O professor Everton Pereira destacou a importância do webinário. “Fazer uma formação continuada é nossa porta de entrada para que os professores entendam melhor as concepções teórico-filosóficas do programa, ao mesmo tempo em que ouvimos os professores e suas dúvidas, gerais ou específicas. Esse fato nos auxilia a criar instrumentais e reforçar muito o que já fazemos para que a distorção idade/série em Sergipe deixe de existir, eventualmente”, concluiu.

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *