Escolas estaduais se preparam para o Saeb

O Sistema de Avaliação da Educação Básica é um dos pilares para o Ideb e iniciará em Sergipe no dia 22 de novembro

 

Diante da proximidade da aplicação das provas do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), a partir do dia 22 de novembro, com previsão para encerramento em 10 de dezembro, as escolas da Rede Pública Estadual de Educação estão se preparando para a avaliação. O Saeb é um conjunto de avaliações externas em larga escala que permite ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) realizar um diagnóstico da educação básica brasileira e de fatores que podem interferir no desempenho do estudante.

 

De acordo com o superintendente executivo da Seduc, José Ricardo de Santana, três pontos são preponderantes para a compreensão do que trata este novo momento para a educação sergipana. Segundo ele, o resgate da confiança das famílias na educação pública e nas medidas de segurança mediante a retomada das aulas 100% presenciais, além da necessidade dos professores terem contato direto para acompanharem a aprendizagem do aluno, foram estratégicos para estabelecer o novo planejamento do ano letivo em 2021.

 

“Nós precisamos nos preocupar com a aprendizagem e o fluxo, que são os aspectos que compõem os indicadores de que precisamos para compreender de que forma precisamos atuar nas escolas. Destacado isso, da importância que damos à avaliação externa como elemento norteador, um outro ponto é como vamos trabalhar após os resultados dessa avaliação. Nós da Secretaria de Educação do Estado temos muita preocupação com aquilo que podemos fazer de fato em Sergipe. Não é à toa que enfatizamos muito a ideia  do regime de colaboração com os municípios, cujas ações devem estar em sintonia”, pontuou José Ricardo de Santana.

 

Por meio de testes e questionários, aplicados a cada dois anos na rede pública e em uma amostra da rede privada, o Saeb reflete os níveis de aprendizagem demonstrados pelos estudantes avaliados, explicando esses resultados a partir de uma série de informações contextuais. Dessa forma, nas semanas que antecedem a prova, os estudantes passam pela realização de simulados e participam de revisões de Língua Portuguesa e Matemática.

 

No Colégio Estadual General Siqueira, localizado no bairro Siqueira Campos, em Aracaju, a mobilização ocorreu com ênfase nas turmas de 9º ano do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio. Segundo a diretora da unidade, Patrícia Aragão Santos, as ações de preparação são de continuidade às que ocorreram no Sistema de Avaliação da Educação Básica de Sergipe (Saese), com a mesma finalidade do Saeb e realizada pela primeira vez no estado.

 

“O primeiro passo foi fazer a busca ativa escolar e incentivá-los a retornar, oportunizando ao aluno escolher outro turno de estudo que não atrapalhasse a atividade remunerada obtida durante a pandemia. A segunda ação foi conversar com os professores não só nas áreas de Língua Portuguesa e Matemática, de modo a incentivar e tirar as dúvidas dos alunos. Escolhemos alguns dias da semana e os sábados para fazer as revisões e simulados, então mobilizamos a 3ª série como uma forma também de preparar para o Enem”, explicou Patrícia Aragão.

 

Para Maria José Farias Santos Dourado, diretora da Escola Estadual Des. João Bosco de Andrade Lima, situada no bairro Bugio, em Aracaju, o trabalho foi desenvolvido em parceria entre professoras, equipe diretiva e pais. “As professoras trabalharam principalmente com simulados a fim de preparar a turma para o formato da prova. Já a equipe diretiva esteve apoiando as professoras no material para simulados e também fazendo a busca ativa dos alunos que por algum motivo estavam sem frequentar as aulas presenciais. Também foram realizadas reuniões com os pais para mostrar a importância deste momento da vida dos seus filhos”, mencionou.

 

A Escola Estadual Prof. Valnir Chagas, localizada no centro de Aracaju, mobilizou alunos e familiares objetivando a presença de 100% das turmas. Por isso, a diretora Andreia Abreu contou que, além das revisões e simulados de Língua Portuguesa e Matemática para o Saeb, desenvolveu uma paródia. “Estamos desenvolvendo ações como revisão para o Saeb, mobilização dos alunos e familiares para que os alunos estejam presentes em 100% nesse dia, simulados de Português e Matemática, e desenvolvemos uma paródia com o tema Saeb, palestras motivacionais com a psicóloga clínica e escolar”, contou.

 

No bairro Grageru, também na capital, a Escola Estadual São Cristóvão está concentrada a todo o vapor na mobilização e preparação para a avaliação. Segundo a diretora, Dra. Débora Evangelista Reis Oliveira, esse momento é realizado de forma lúdica por se tratar de turmas dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Ela explica que as crianças fazem simulados, jogos, brincadeiras e trabalham de forma lúdica.

 

“Nós temos cadernos da Editora Moderna, vários materiais de apoio fornecidos pela Secretaria de Educação, e essa parceria com a Editora Moderna foi muito importante para trabalhar com as crianças. A iniciativa do Governo do Estado de implantar o Saese foi essencial porque já foi uma prévia para o Saeb. Vamos ter nossos indicadores para podermos avançar e melhorar a educação do estado de Sergipe”, concluiu.

 

A coordenadora do Centro de Excelência Secretário Francisco Rosa, unidade que oferta o Ensino Médio em Tempo Integral, Margareth Cristóvão Ramos, explica que a unidade baseou-se na realização do Saese, Saeb e Enem, tornando possível um planejamento escolar que abordasse os conteúdos das três avaliações.

 

“A escola vem trabalhando com os professores de Língua Portuguesa e Matemática desde quando nós estávamos ainda com alunos em aula remota, sempre cruzando os conteúdos do Saese, Saeb e Enem. Nós temos feito a busca ativa, mantendo o contato direto com os alunos que mapeamos depois do resultado do Saese. Nós identificamos os que não participaram. Então essa busca ativa está sendo feita juntamente com o retorno presencial para que tenhamos uma participação de 100% dos alunos matriculados nas turmas das terceiras séries”, disse Margareth Cristóvão.

 

Para o jovem estudante Matheus Augusto, que estuda a 3ª série no Francisco Rosa, além de o Saeb ser umíndice, é também uma forma de mudança, pois torna possível avaliar o atual momento da aprendizagem dos alunos que resulta em novas estratégias e metodologias para melhorar o ensino em Sergipe. “Um governo que realmente se importa com a população também se preocupa com os índices da educação. Independentemente do resultado, a nossa preocupação é o que vamos fazer para mudar”, ressaltou. A estudante Layla Kethem, também estudante da 3ª série do Ensino Médio, conta sua experiência de retomar as aulas presenciais nesse momento, em que acontece uma espécie de intensivão. “Com os professores no presencial há um cuidado a mais com a questão de se preparar para a prova. Eles nos ajudam tanto no Saeb quanto no Enem, e isso nos dá um apoio maior, e eu enxergo mais os benefícios”, concluiu.

Assessoria de Comunicação da SEDUC – ASCOM

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *