Frente Parlamentar: vereadores experienciam ações que reforçam as dificuldades das pessoas com deficiência em Aracaju

“Eu não sou deficiente. A cidade é que é deficiente e não está preparada para incluir e garantir os direitos que devem ser assegurados a todos os cidadãos, independente das suas condições”, esse foi o relato da ativista Elaine Cristina dos Santos, que participou da ação simbólica, realizada nessa quinta-feira, 14, na Praça Camerino,  que representa o início das atividades da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Acessibilidade e Doenças Raras da Câmara Municipal. O ato, que trouxe como tema “Aracaju+Humana: a inclusão social das pessoas com deficiência e a acessibilidade também dependem de nós”, teve como objetivo conscientizar os parlamentares presentes e convocá-los para que se engajem nas discussões e pautas relacionadas ao tema.

 

Segundo dados fornecidos pelo Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência,  Aracaju conta com quase 150 mil cidadãos que possuem ao menos um tipo de deficiência. Na ação, os parlamentares puderam entender, minimamente, alguns dos principais problemas enfrentados pelas pessoas cadeirantes, cegas, surdas, mudas e/ou com mobilidade reduzida. Problemas esses que vão desde a locomoção em espaços deteriorados e sem adaptação seguindo as leis brasileiras até mesmo pegar um transporte público.

 

No ato, os vereadores e vereadoras participaram, sob a supervisão de pessoas com deficiência e representantes de órgãos de fiscalização, a exemplo do Conselho Municipal, de experiências que fizeram com que, cada um, sentisse na pele o que é viver em uma cidade sem o mínimo possível de inclusão social e conscientização.

 

Para o vereador e presidente da Frente Parlamentar, Sargento Byron (Republicanos), a atividade vai além da representação do início das atividades do órgão suprapartidário. “Essa é uma maneira de sensibilizar cada vereador e vereadora que esteve presente na ação. Se a gente vai pensar em políticas públicas para esse grupo, primeiro temos que estar muito bem inseridos no contexto, dialogando com as pessoas que fazem parte dos movimentos, com os cidadãos; segundo temos que tentar entender o que cada cidadão passa em meio a tantos problemas existentes em nossa cidade. Estou muito feliz em saber que existem parlamentares preocupados com a causa e faço questão de convidar para que estejam próximos à frente, independente de serem ou não integrantes. Vamos cobrar ao prefeito a cidade que ele prometeu tornar mais acessível. Precisamos fortalecer a voz dessa parcela da população que tanto é invisibilizada”, disse Byron.

 

O vereador Cícero do Santa Maria (Podemos) reforçou que a ação foi muito importante para promover a reflexão e fortalecer ainda mais a Frente. “Nós vamos lutar para que essas pessoas tenham mais dignidade, mais direitos, que sejam respeitadas. Cada um aqui está ainda mais disposto a defender esses cidadãos e cobrar a quem é de competência os direitos que devem ser garantidos para além do que mandam as leis brasileiras de inclusão”, reforçou Cícero, sendo complementado pela vereadora Sheyla Galba (Cidadania), que participou de uma série de experiências, ficou ainda mais sensível em relação à causa. “Vimos a falta de estrutura. Os ônibus, por exemplo, sem cobradores. O motorista tem que sair do volante, às vezes deixando o dinheiro lá, para conduzir o elevador. Isso demanda mais tempo, as pessoas ficam irritadas, às vezes os motoristas nem param devido ao longo tempo em que se leva até acomodar uma pessoa cadeirante.
Sair pelas ruas sem poder enxergar é desesperador, sem segurança, é muito difícil. Precisamos estar de mãos dadas para lutar por essas pessoas”, relatou Sheyla.

 

O vereador Breno Garibaldi (Democratas) destacou que, enquanto técnico, atuará com a perspectiva de ajudar a mudar muitos problemas que existem em relação à falta de acessibilidade. “Quero reforçar o quanto estou feliz em participar desta Frente. Tem muita coisa que precisa ser mudada. Vamos aproveitar que estamos discutindo o Plano Diretor, para levar essas discussões e tentar incluí-las o máximo possível. Vamos trazer essas pessoas para que sejam protagonistas das discussões dessa composição de parlamentares, precisamos incluí-los em todos os processo. Porque é como eles mesmos dizem: “nada para nós, sem nós””, disse.

 

A vereadora Linda Brasil (Psol) também se fez presente no ato. “Quero parabenizar a frente parlamentar por esta iniciativa do lançamento dos trabalhos. Foi um momento de protagonismo das pessoas com deficiência! O que demonstra bem o tom de como é o entendimento e o paradigma da frente que vai pensar ações a partir das vivências destas pessoas. Pensar o exercício de empatia foi uma boa demonstração disso. Nós parlamentares tivemos a oportunidade de vivenciar um pouco as dificuldades de locomoção e acessibilidade enfrentadas pelas pessoas com deficiência.  Estou à disposição da frente porque essa é uma pauta que tem total relação com Direitos Humanos e os avanços e conquistas feitos nesta área refletem melhor para toda sociedade”, ressaltou.

 

Para a  vereadora Ângela Melo (PT), os desafios para tornar Aracaju numa cidade de todos e todas ainda são muitos. “Quero parabenizar o lançamento da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Acessibilidade e Doenças Raras, instituída pela Câmara de Aracaju e que tem o meu total apoio. Essa Frente tem uma tarefa fundamental de pautar e propor políticas públicas que garantam direitos para as pessoas com deficiência em nossa cidade. E o lançamento, ao realizar ações de vivência, foi bastante importante para podermos nos colocar no lugar do outro para, com o outro, lutarmos por uma cidade acolhedora e que seja, realmente, uma cidade de todos e todas”, reforçou.

O presidente do Conselho Municipal, Roque Hudson, esteve presidente na ação e parabenizou a iniciativa. “Quero me colocar à disposição desta Frente, que já percebi o quanto vai conduzir as coisas com seriedade. O Conselho estará junto com esses parlamentares para que possamos tornar essa luta mais forte e respeitada. Aracaju precisa avançar no que diz respeito à garantia dos nossos direitos, e tenho certeza que esse grupo de parlamentares vai ampliar a nossa voz na Câmara de Aracaju e cobrar a todos os responsáveis que cumpram com os seus papéis e torne a nossa cidade mais humana de verdade”, evidenciou Roque.

Por Pábulo Henrique, assessor de imprensa

 

 

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *