Fernando Grupo Casoto te ensina como fazer uma internação involuntária

WhatsApp: (11)94797-6909 
@fernando.grupocasoto

No Grupo Casoto a internação involuntária pode e deve ser acionada pela família do adicto, entretanto, sabemos que há muitas dúvidas referentes a esse assunto nos dias de hoje. Apesar de termos amplo acesso à internet, muitas pessoas ainda não sabem bem como funciona esse processo.

No caso, a pessoa que pede a intervenção, deverá então assinar uma autorização, e principalmente: precisa ter ligação consanguínea com o adicto, podendo ser: mãe, pai, filho, entre outros.

O que algumas pessoas acham é que a dependência química é um desafio somente para o usuário, entretanto, esse vício é capaz de deixar o núcleo familiar com codependência, e ainda possui um potencial devastador para toda a relação familiar.

Sendo assim, é bem comum as pessoas ficarem em dúvida sobre a internação involuntária e se a mesma realmente serve, outras pessoas se questionam se ela realmente funciona, vamos falar um pouco mais sobre o assunto abaixo.

O que é a internação involuntária?

Na realidade, a internação involuntária nada mais é do que uma internação que vai contra a vontade do paciente, ou seja, o mesmo não pode decidir se vai ou não fazer o tratamento, afinal a família acaba decidindo por ele.

Precisamos ajudar o dependente a reconhecer sua doença e que possui a necessidade de tratamento, isso acaba sendo indispensável para frear por completo as graves consequências que esse vício acaba trazendo.

Porém, na grande maioria dos casos, sabidamente esses dependentes não reconhecem que estão doentes, sendo assim, a internação nesses casos acaba sendo completamente necessária para proteger a vida do dependente.

Publicidade:

Mas o que é a dependência química?

Para saber como funciona o Guia da Reabilitação, devemos saber exatamente que o problema com drogas acaba atingindo pessoas que estão em diversas classes sociais e de várias faixas etárias, sendo ainda uma realidade de muitos indivíduos no país.

Na realidade, basicamente a dependência acaba sendo uma espécie de relação corrompida entre a pessoa é uma substância psicoativa, sendo que o uso constante dessa mesma pode levar o adicto a perder o controle sobre seu uso.

Lembrando que isso acaba causando a síndrome da abstinência, principalmente quando seu consumo é reduzido ou interrompido por completo, a esse tipo de situação é dado o nome de dependência química.

Com o passar do tempo, ela é capaz de afetar por completo o usuário, e isso acaba se tornando uma doença crônica, podendo ser psíquica ou física.

Ademais, o dependente químico acaba sendo impulsionado por uma busca eterna por esse prazer momentâneo que a droga acaba trazendo, e isso modifica todos os vínculos que o mesmo possui, quer seja familiar, profissional ou social.

A dependência química possui características comportamentais bem específicas, sendo que elas podem ser observadas em pessoas que sofrem com esse problema, entre as mesmas podemos citar:

 

  • Manipulação para conseguir o que se deseja;
  • Muita obsessão;
  • Ansiedade;
  • Comportamentos completamente anti sociais;
  • Auto piedade;
  • Paranoias;

 

Lembrando que a partir do momento em que o dependente deixa de usar apenas por diversão e então começa a querer essa droga com maior frequência, a pessoa se torna capaz de várias loucuras somente para não precisar pelo desprazer que a falta de uso da droga traz.

Pode-se dizer, que é justamente por este motivo que a dependência química é capaz de afetar diretamente a família: porque o usuário não mede as consequências de seus atos e então pensa somente em consumir essa substância capaz de suprir seu vício.

A maioria das pessoas acaba cometendo o erro de não considerar a dependência como uma doença, sendo que além do mais, a família acaba demorando a tomar atitudes mais sérias em relação a tal problema.

Como identificar os sinais de alerta?

Antes de solicitar a internação involuntária, é relativamente importante que a família consiga identificar os sinais de alerta, sendo que esses acabam mostrando que seu ente querido está caindo nas armadilhas da dependência química, confira abaixo:

O dependente já não possui comprometimento com suas atividades antigas

Certamente o usuário de drogas acaba perdendo o interesse por aquelas atividades que anteriormente eram prazerosas, entre elas: seu emprego e até mesmo estudos. Não há mais dedicação, comprometimento ou até mesmo atenção para nada que não seja o uso da droga!

Há uma clara alteração dentro do relacionamento familiar

É bem comum que os usuários acabem deixando de interagir com sua própria família, a partir daí não sentam mais na mesa para fazer as refeições, nem mesmo comparecem aos eventos familiares.

Ademais, as relações acabam sendo afetadas de forma ativa, porque o usuário de drogas acaba apresentando surtos de agressividade e até mesmo paranoia constante!

A pessoa perde sua vida social

Certamente a rotina do dependente acaba por se resumir em atividades capazes de facilitar na busca e no acesso à droga, sendo que dessa forma, compromissos e até mesmo atividades sociais que dificultam o uso de drogas.

Não há controle financeiro

Certamente o dependente químico, acaba ficando e alegando que está em uma crise financeira, ou até mesmo com outros tipos de problemas em seu trabalho, geralmente isso acontece porque há um constante gasto com drogas.

Há manipulação e furtos dentro de casa

Certamente o usuário começa a enganar a família para disfarçar o uso, sendo assim, começa a ser desonesto, é bem comum que o adicto comece a roubar pequenos objetos de dentro de casa. Entre os objetos há roupas, jóias e até mesmo peças pessoais, que acabam sendo bem corriqueiras para um dependente, porém, isso é sinal de roubos maiores ocorrerem.

O que fazer ao identificar que meu ente querido é dependente?

Depois de perceber que seu ente querido realmente demonstra diversos sinais, então o mesmo certamente precisa de auxílio profissional, porém, muitas famílias demoram para buscar ajuda, e isso pode piorar o quadro.

É nesse momento então, que a família precisa formar uma base mais compreensiva e completamente acolhedora para essa pessoa, e juntamente com o adicto tentar seguir um caminho melhor para que o mesmo se restabeleça.

A internação involuntária na clínica de recuperação Grupo Casoto acontece quando a família escolhe um centro de reabilitação, e o médico especialista será responsável por examinar esse dependente, logo após um laudo é emitido comprovando que há necessidade de internação do mesmo.

O tempo de permanência do mesmo no local, deve ser informado no início e irá variar conforme os dados do paciente, porém, a ajuda é essencial e precisa ter ação rápida, caso contrário o dependente corre risco de vida e põe a vida de terceiros também em risco!

Acesse os sites e tire suas dúvidas

www.grupocasoto.com.br

www.portalderecuperacao.com.br

www.guiadereabilitacao.com.br

www.procureajuda.com.br       

WhatsApp: (11)94797-6909

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe uma resposta