Letalidade da covid-19: Aracaju apresenta menor taxa do Nordeste e terceira menor do país

O planejamento e as medidas implementadas pela Prefeitura de Aracaju para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus têm permitido que a capital sergipana mantenha-se como a capital nordestina com menor taxa de letalidade da covid-19 e a terceira em comparação com demais capitais do País.

A taxa de letalidade avalia o número de mortes em relação às pessoas que apresentam a doença ativa, e não em relação à população toda, ou seja, mede a porcentagem de pessoas infectadas que evoluem para óbito, dado fundamental para compreender a qualidade do tratamento oferecido aos infectados.

O número registrado em Aracaju, de acordo com dados da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), é de 1,46%, ou seja, seis vezes menor do que a capital que registra o maior índice: a do Rio de Janeiro, com 9,06%.

A capital sergipana está atrás, apenas, das capitais de Santa Catarina, Florianópolis, que registra 0,94%, e do Tocantins, Palmas, que registra 0,96%. Empatadas da terceira colocação estão Aracaju e a capital de Roraima, Boa Vista.

O resultado é fruto de um trabalho intenso e meticuloso, que perpassa desde a adoção de um Plano de Contingência, adotado ainda antes que casos de coronavírus tenham sido registrados, à ampliação de leitos e o avanço na campanha de vacinação.

De acordo com a secretária da Saúde de Aracaju, Waneska Barboza, durante a pandemia, o Município capacitou equipes, e passou a entender melhor como a doença funciona, tratando as pessoas de forma precoce, diminuindo as chances de letalidade.

“Esse resultado está relacionado, também, mesmo de forma prematura, com a redução no número de pessoas acima de 80 anos que vêm sendo internadas após a campanha de vacinação, visto que essa faixa etária corre maior risco de letalidade. Há também a mudança no perfil da doença que tem contaminado ultimamente pessoas mais jovens. Aliado a isso está a ampliação dos leitos, o que amplia a assistência. Todas essas ferramentas associadas contribuem para que sejamos a terceira capital do país com a menor letalidade e a primeira da região Nordeste”, explica.

Apesar do crescimento do número de casos e óbitos registrados nas últimas semanas, em todo o Brasil, a resiliência da cidade em relação à crise sanitária tem se mostrado grande, uma vez que em muitos locais os sinais de colapso dos sistemas de saúde estão evidentes há dias.

Publicidade:

Justamente por conta desta nova onda, que é agravada pela variação das cepas do vírus, inclusive com a que foi descoberta em Manaus (comprovadamente mais transmissível), a administração municipal tem colocado em prática, por meio de decretos, medidas ainda mais restritivas de circulação de pessoas, com o objetivo de evitar ao máximo aglomerações e quebrar o ciclo de transmissão do coronavírus.

Tudo tem sido feito para que o baixo índice de letalidade alcançado permaneça, em uma atuação que considera imprescindível a vida de cada aracajuano e que requer a colaboração de toda a população, a qual deve continuar mantendo as medidas de biossegurança necessárias para evitar o contágio pelo novo coronavírus.

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe uma resposta