Mais de 190 alunos sergipanos se classificam para a segunda fase da Olimpíada Nacional de Ciências

A primeira fase da Olimpíada Nacional de Ciências, que aconteceu nos dias 6 e 7 de agosto, teve cerca de dois milhões de alunos inscritos de todo o país. O resultado já foi divulgado e, em Sergipe, 194 estudantes da rede pública estadual, distribuídos em 26 escolas, foram classificados para a segunda fase, que será realizada no dia 19 de setembro, com a aplicação das provas nas coordenações estaduais. Diferentemente dos anos anteriores, a primeira etapa aconteceu de forma remota, 100% online, para preservar a segurança e saúde dos participantes e familiares.

De acordo com o técnico Jorge Monteiro, do Serviço de Apoio ao Desenvolvimento Estudantil (Seades), vinculado ao Departamento de Apoio ao Sistema Educacional (DASE), da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (SEDUC), houve uma grande mobilização por parte das escolas (diretores, coordenadores, professores), para que os estudantes pudessem fazer as provas com segurança, agilidade e eficiência. Ele comemora a vitória dos alunos e se mostra otimista com a próxima etapa da competição. “É com muita alegria que vemos esse resultado, com mais de 190 alunos da nossa rede estadual sendo classificados para a segunda fase da Olimpíada Nacional de Ciências. Estamos muito felizes; afinal, não foi fácil ultrapassar todos os desafios ao longo desse período de pandemia. Agora, munidos de todo o entusiasmo, os professores e alunos prometem fazer tudo o que for possível para superar a segunda etapa. Estamos todos torcendo por eles”, disse.

A coordenadora do Seades/Seduc, Danielle Virginie, destacou que é feito todo um trabalho com o objetivo de incentivar uma maior participação dos estudantes. Ela conta que o DASE, por meio do Seades, criou uma Frente de Apoio à Participação em Projetos e Olimpíadas Científicas e do Conhecimento, a qual é uma equipe que faz uma divulgação maciça para todas as escolas, entrando em contato com cada equipe gestora das unidades de ensino elegíveis a participarem da competição.

“Nós, do Seades, estamos muito felizes com esse resultado, porque foram mais de cento e noventa alunos aprovados para a segunda etapa, o que significa dizer que concorreu na primeira fase um número muito maior de estudantes. Isso é fruto de um esforço conjunto de professores que já preparam seus alunos, quando têm conhecimento dessas oportunidades, dos alunos que têm se dedicado aos estudos e a essa preparação para participarem das olimpíadas, e dos nossos técnicos, que fazem todo o trabalho de divulgação. Quando a gente vê um número tão expressivo de estudantes classificados, nós percebemos que esse trabalho está surtindo efeito positivo. Vamos continuar trabalhando nesse sentido, porque a ideia é fazer com que Sergipe se torne referência na participação em olimpíadas científicas do conhecimento”, afirmou.

Alunos e professores comemoram

A estudante Anna Beatriz Bastos Oliveira, do 2º ano do ensino médio do Colégio Estadual Doutor Antônio Garcia Filho, em Umbaúba, disse que a olimpíada está sendo uma rica experiência. “Foi muito importante, para mim, participar dessa olimpíada, porque eu aprendi mais sobre as matérias de Química, Física, Biologia e Astronomia, e fiquei feliz em ter passado para a segunda fase, porque mostra que meus esforços valeram a pena”, declarou.

O colega dela, Adriel Ribeiro de Santana, do 3º ano, disse que participar da ONC está sendo algo bastante significativo em sua vida. “Foi com enorme prazer que eu tive a oportunidade de participar de uma competição como essa, em nível nacional, que engloba cinco áreas distintas do conhecimento. A gente vinha se preparando desde o começo do ano, de maneira totalmente online. Fomos guiados pela plataforma por meio da professora Darcylaine, que nos incentivava sempre. Fiquei muito feliz em ter passado para a segunda fase, porque essa competição é de alto nível. Então, saber que eu pude ser aprovado para a próxima fase em uma competição com essa relevância significa muito para mim. E isso vai desempenhar um papel enorme na minha formação acadêmica. É algo que eu vou levar para toda a minha vida”, disse.

Sua professora de Química, Darcylaine Vieira Martins, destacou que os estudantes se prepararam bastante para essa competição. “Nossos alunos passaram para a segunda fase da ONC depois de intensiva preparação. Eles são incentivados a participar de diversas olimpíadas do conhecimento e feiras científicas, com o intuito de despertar o interesse ainda maior por Química, Física, Matemática, entre outras disciplinas”, afirmou.

Para o professor de Física José da Silva, do Colégio Estadual Eduardo Silveira, em Itabaiana, as Olimpíadas Científicas vão além da conquista de medalhas e certificações. “É uma forma de nossos alunos sentirem o gostinho da Ciência e uma oportunidade de testarem seus conhecimentos adquiridos ao longo dos anos em diversas disciplinas. Arrisco até a dizer que é através de ações como esta que muitos podem decidir por sua vida, sua formação futura e, talvez, até profissional. A inspiração tem de vir logo cedo”, disse.

Já a professora Danyelle Andrade Mota, do Colégio Estadual Professor Artur Fortes, em Carira, acredita que “eventos como a ONC despertam nos alunos a necessidade constante de autossuperação, a curiosidade e o gosto pelas ciências e suas tecnologias, uma busca constante por coisas novas”.

 

 

 

Reprodução autorizada mediante citação da fonte: Imprensa 24h

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Deixe uma resposta