Prefeitura de Aracaju realiza busca ativa por alunos que estão fora da escola

Para garantir a frequência dos estudantes nas escolas, a Prefeitura de Aracaju realiza um trabalho de busca ativa para localizar os alunos que não voltaram a frequentar a escola, mesmo após o retorno presencial. Nesta quinta-feira, 18, a equipe municipal visitou domicílios dos alunos na região do bairro Olaria.
Após a unidade de ensino identificar quais os estudantes que, mesmo após o retorno presencial, ocorrido em setembro, não estão comparecendo às aulas, começa a busca ativa. O trabalho é feito de porta em porta, abordando pais e responsáveis e questionando o motivo da ausência em sala de aula.
De acordo com a secretária municipal da Educação , Cecília Leite, a busca ativa escolar visa atender a uma demanda bastante complexa nesse momento de desaceleração da pandemia, que é trazer de volta às escolas as crianças e adolescentes que se viram fisicamente apartadas das unidades de ensino.
“A escola é considerada como o principal órgão da rede de proteção de crianças, pois se trata do ambiente onde as crianças passam no mínimo quatro ou cinco horas por dia. Na escola, as crianças constroem laços, vínculos afetivos com professores, cuidadores, gestores, os quais notificam e denunciam casos de violências contra crianças e adolescentes, solicitam apoio nas questões relativas à saúde mental. Por isso é tão importante esse retorno presencial das crianças às escolas”, explica a gestora da Secretaria Municipal da Educação (Semed).
Diariamente, equipes das coordenadorias de Políticas Educacionais para a Diversidade (Coped) e de Programas e Projetos (COPP) da Semed prestam apoio às equipes diretivas das escolas na realização da busca ativa.
“Precisamos tratar da recomposição da aprendizagem de nossos estudantes. Esse longo período de afastamento causou sérios impactos à aprendizagem. Se naquele dado momento da pandemia, para proteger a integridade física e mental de estudantes e profissionais, precisamos afastá-los do ambiente escolar, hoje vivemos uma nova realidade no cenário pandêmico, em que já não há mais o registro de centenas de novos casos e mortes por dia. As escolas estão equipadas com insumos e equipamentos de higiene coletiva, individual e de ambientes, e estão operando de forma segura para todos”, ressalta Cecília.
As ações de busca dos estudantes são realizadas pelos gestores escolares desde o mês de setembro, junto com o retorno das atividades pedagógicas presenciais. No caso dos alunos que, mesmo procurados de forma remota, ainda assim não compareceram à escola, a busca passa a ser presencial.
Coordenadora da Coped, Maíra Ielena Nascimento explica que os gestores dialogaram com as famílias através de ligações, envio de comunicados escritos, redes sociais e grupos de Whatsapp. Nesse momento, destaca ela, escola e gestão da Semed se unem para a busca in loco dessas crianças, tanto para compreender os motivos alegados pelos responsáveis, quanto para convencê-los, sendo o caso, da necessidade de retorno imediato da criança.
“Uma ação como essa pode prevenir ou debelar diversas formas de violências contra crianças, como trabalho infantil, violências físicas e sexuais, entre outras. Mas também, através de busca ativa, podemos descobrir uma família condição de vulnerabilidade e fazer os devidos encaminhamentos que o caso demanda ou inspira”, destaca a coordenadora, ao salientar que essa ação será mantida até o fim do ano letivo de 2021.

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *