Prefeitura e construtoras assinam ordem de serviço para estudo de macrodrenagem em São Cristóvão

Na manhã desta terça-feira, 22, representantes de construtoras sergipanas e gestão municipal assinaram a ordem de serviço para estudo de macrodrenagem das bacias I, II e VII, que compreendem a região do Rosa Elze, Eduardo Gomes, Jabutiana e adjacências. A ação faz parte do processo de análise da área pública da cidade, seguindo a legislação ambiental e o plano diretor sancristovense. Os trabalhos servirão de base para empreendimentos imobiliários, comerciais e empresarias que venham a ser implantados no futuro.

O projeto tem prazo de quatro meses para ser entregue à prefeitura. Depois de concluído, um especialista do município deverá homologar o estudo, porém, todo o processo de análise será acompanhado pelos técnicos da Secretaria Municipal de Infraestrutura. “Em breve teremos todas as informações reais do que podemos ou não modificar na estrutura da cidade, no tocante aos empreendimentos construídos, tanto públicos quanto privados. Quando se estuda a macrodrenagem, se está resolvendo um problema estrutural com a perspectiva que seja um legado para as futuras gerações. Todos os projetos de construção locais terão que estar de acordo com o projeto de macrodrenagem do município”, disse o prefeito, Marcos Santana.

As sete construtoras responsáveis pelos recursos da contratação do estudo e que são parceiras da Prefeitura de São Cristóvão neste processo são: Celi, AC Engenharia, Impacto, Nasal, Laredo, Primasa e União. Segundo o secretário municipal de infraestrutura de São Cristóvão, Ricardo Naves, o estudo está estimado em cerca de R$ 275 mil. “A prefeitura conseguiu essa parceria com as construtoras, que vão arcar com os recursos, mas nós que estaremos conduzindo todo o projeto, incluindo as diretrizes que farão parte do estudo. Se esse estudo tivesse acontecido há dez anos, por exemplo, não teríamos os problemas com enchentes que tivemos no final do primeiro semestre. Esse é um trabalho que vai refletir no futuro da cidade e nas vidas das pessoas”, informou.

Vale ressaltar que a Procuradoria Geral do Município realizou chamamento público e credenciamento das empresas, com o perfil a ofertar o trabalho de estudo de macrodrenagem. A escolha das empresas (E-base e da CTENG) para a realização do estudo aconteceu mediante contratação direta, uma vez que se trata de recurso particular das construtoras, o que não demanda contratação por licitação.

 

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

 

Imprensa 24h

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Deixe uma resposta