Professora Urtis Maria: Pura Superação

Urtis Maria Pereira Santos nasceu na cidade de Estância-SE no dia 26 de outubro de 1952. Filha de Edgar Gomes Azevedo, funcionário da empresa Leste e Maria Mercedes Santos, dona de casa. Tinha cinco irmãos, sendo que dois deles eram do seu pai com outra esposa, a senhora Helena. 

Viveu toda a infância e adolescência na cidade de Japaratuba-SE. Ficou órfã de mãe ainda criança e passou a ser criada pela avó materna, a senhora Maria Rosa que também criou seus 4 irmãos legítimos. 

No ano de 1968, aos 16 anos de idade, casou-se com José Victor Sobrinho, um paraibano da cidade de Caiçara, 11 anos mais velho, motorista da Rodobrásempresa de terraplanagem. Da união nasceram 3 filhas: JosevâniaJosevalda e Jucielma. Porém, seu esposo já tinha 3 filhos do primeiro casamento: Maria de Lima, Severino e Maria da Penha, os quais passou a criar como filhos.  

Em 1971, a empresa transferiu seu esposo para Paraíso do Norte-GO, atualmente Paraíso do Tocantins. No ano de 1973, José Victor foi enviado para a cidade de Aracaju-SE com a finalidade de transportar um maquinário, onde permaneceu por 1 ano, aproximadamente. Sem notícias do esposo, e já sem esperança de revê-lo, Urtis vendeu a casa e a mobília e mudou-se com suas 3 filhas para a cidade de Miranorte-GO, hoje pertencente ao estado do Tocantins, deixando os 3 filhos de criação com a dona da empresa, a Sra. Raimunda, em Paraíso do Norte-GO. 

Na nova cidade, usou o codinome Maria Bethânia, receando ser encontrada. Porém sua tentativa foi frustrada. José Victor, conhecido como Coruja, a encontrou e tirou-lhe as 3 filhas, deixando-a só, naquele lugar. As filhas foram levadas para a cidade de Japaratuba-SE e entregues à senhora Maria Rosa, bisavó materna das crianças que passou a cria-las.  

Sozinha e longe de seus familiares e filhas, teve que recomeçar a vida. Mudou-se para a cidade de Wanderlândia-TO e passou por várias dificuldades, precisou trabalhar em casas de família como doméstica, lavou roupa e também trabalhou como manicure. Como sempre se relacionou bem com as pessoas, contou com a ajuda de muitas delas. Casou-se pela segunda vez com o senhor Waldenor Pereira da Silva com quem teve 1 filha, Waldeluze, mas infelizmente aos 30 anos de idade ficou viúva. Mais uma vez, Urtis encontrava-se sozinha, mas com a ajuda de amigos, conseguiu emprego na escola da paróquia Nossa Senhora da Conceição, como auxiliar de limpeza e merendeira, contando com o apoio principalmente do padre Ivan Pinheiro, quem mais a ajudou. 

Passou a estudar na escola da paróquia a partir da 5ª série. Não demorou e logo foi promovida a secretária da igreja passando a auxiliar o padre Ivan na missa com a liturgia e acompanha-lo nos trabalhos da igreja nas zonas rurais. Dedicou-se aos estudos, terminou o 1º grau e logo ingressou no 2º grau no curso de contabilidade. Não se adaptando ao curso, mudou para o magistério no colégio José Luís Siqueira. Neste período, teve mais 1 filho, Marcos Aurélio, de um relacionamento que não deu certo.  

Ingressou na UNITINS – Universidade Estadual do Tocantins- no curso de pedagogia. Logo em seguida fez pós-graduação na mesma universidade. Em 1989 foi admitida como professora auxiliar no colégio da Paróquia Nossa Senhora da Conceição. Casou-se pela terceira vez com João Lourenço Sobrinho.  

Publicidade:

De 1998 a 2005, trabalhou no Colégio Estadual Dom Pedro II, na cidade de Wanderlândia-TO. A pedagoga e pós graduada Urtis Maria foi aprovada em concurso para professora na cidade de Darcinópolis-TO, onde passou a residir com o atual esposo, senhor João Lourenço, com quem permaneceu casada até a sua morte em 04 de março de 2014, deixando um legado de muita luta, determinação e superação.  

Deixou muitas saudades entre seus familiares e amigos que a amavam e admiravam muito. No seu velório o que não faltou foi homenagens das ex-alunas que comovidas diziam: Quanta falta professora Urtis vai fazer”. 

A senhora dona Florentina Fernandes dos Santos, moradora da cidade de Wanderlândia-TO, enviou a seguinte frase em sua homenagem: Urtis deixou muitas lembranças aqui na nossa cidade”. Eu era muito amiga dela e minha filha, Geni Maria Fernandes dos Santos foi sua aluna e só com ela aprendeu a ler e a escrever. Sou muito grata a essa mulher guerreira por ter cuidado tão bem da minha filha, enquanto sua aluna. Onde Urtis estiver, seja iluminada por Deus, pela pessoa maravilhosa que ela foi e por tudo que ela fez, enquanto professora em nossa cidade”.   

  

Sou Vânia Sobrinho e estarei aqui semanalmente compartilhando com vocês textos biográficos de pessoas ilustres.  

 

 

 

Escritora e Historiadora Josevânia Sobrinho Santos, josevaniass@hotmail.com .Natural Japaratuba-SE. Formada em Desenho de Construção Civil pelo Instituto Federal de Sergipe, Auxiliar e Técnica de Enfermagem pelo Centro de Estudos, São Lucas, licenciada em História, pela Universidade Tiradentes, Pós graduanda em Psicanalise pela FAVENE, Presbiteriana. Atualmente funcionaria em Hospital de Cirurgia onde o trabalho vendo vidas chegando vencendo adversidades e seguindo em frente e outras vidas chegam e se encerram ali mesmo, fato que a levou a reflexão na qual criou está coluna e seus escritos biográficos. Seja bem vindo a leitura do Biografia de cada dia.

 

 

 

 

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

 

 

 

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

2 thoughts on “Professora Urtis Maria: Pura Superação

  • 22/04/2021 em 23:34
    Permalink

    Muito lindo mana Vânia nossa mãe foi guerreira sua vida toda, obrigada por retratar um pouco de sua história.

    Resposta
    • 23/04/2021 em 13:46
      Permalink

      Nossa querida mãe é nosso orgulho, mana Waldeluze. Muita emoção nessa história. Amarei minha mãezinha guerreira eternamente.

      Resposta

Deixe uma resposta