Quebrando o tabu, desconstruindo os rótulos da Geografia

     A ciência Geografia dentro das perspectivas do senso comum, está limitada a um conhecimento descritivo, que caracteriza o espaço ao redor do ser humano. Assim, as abordagens de percepção e relação dos conceitos com a própria realidade são excluídas das atribuições geográficas. E a ciência recebe rotulações como, estudo dos mapas, estudo dos relevos ou até mesmo se restringe a noções de localização por coordenadas geográficas. 

     Com base na epistemologia da ciência, a Geografia poderia se limitar a tais definições, Geo significa Terra e grafia, significa descrição, ou seja, descrição da Terra. Os conhecimentos geográficos no início da sua abordagem, realmente serviam para essas habilidades, localização e descrição. Entretanto, como toda ciência, a Geografia foi evoluindo com o passar dos anos e aprofundando os seus conceitos. Descrever e localizar, se tornaram apenas parte de tudo que abrange uma percepção e relação geográfica. Isso ocorre, pela própria definição do objeto de estudo, o espaço geográfico, é caracterizado pela produção do homem no espaço. Assim, as relações sociais, políticas, econômicas, ambientais e subjetivas estão inclusas no campo de estudo dessa ciência, proporcionando a capacidade de tentar entender a própria realidade ou vivência.  

     O ponto de vista a partir do objeto de estudo, elimina completamente as rotulações enraizadas na ciência. Utilizando essa perspectiva, no dia a dia, as pessoas estão vivendo e fazendo geografia sem nem ao menos perceberem. Através das suas relações de afetividade com o espaço, que caracterizam a categoria lugar ou das relações socioeconômicas que estão dentro de outras categorias como território, região e espaço. E para completar, a percepção dos seus cinco sentidos, audição, paladar, olfato, tato e visão sobre o espaço, que demostram a categoria paisagem. Muitas vezes, essas categorias de estudo, que são a base para as abordagens geográficas, são esquecidas ou abordadas de uma maneira equivocada. 

      Sendo assim, mesmo tendo uma grande diversidade e abrangência em seus conceitos, mesmo nos dias atuais, a Geografia, ainda assim recebe rótulos descritivos que ocultam para os seus estudantes o seu verdadeiro papel na sociedade. Esse conhecimento, oferece ao ser humano a capacidade de entender sua vivência, identificando os fatores que a compõe e como os mesmos estão relacionados. E isso pode ser feito, utilizando diferentes vertentes, a divisão e organização do trabalho em sua região, tendo como ponto de partida as relações comerciais.  sua definição a partir dos seus sentidos sobre o bairro que mora, as fronteiras que delimitam a sua cidade, para representar as divisões políticas e a situação ambiental da sua rua, englobando questões de saneamento básico e atitudes de preservação. Esses seriam alguns exemplos da capacidade de compreensão do mundo no qual você mesmo está inserido, e assim, desconstruir os rótulos da Geografia. 

 

 

 

Por Jhonas Souza, aluno de geografia na Universidade Federal de Sergipe

 

 

 

 

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Publicidade:

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Deixe uma resposta