Requerimento de Breno Garibalde sobre o Museu do Mangue é aprovado na CMA

Na manhã desta quarta-feira (05), na sessão plenária da Câmara Municipal de Aracaju, foi aprovado o requerimento do vereador Breno Garibalde solicitando à Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb) informações sobre o Museu do Mangue, na Coroa do Meio, que recentemente foi alvo de um incêndio. O requerimento, que foi protocolado bem antes do ocorrido, pede informações sobre o projeto utilizado na reforma do museu, o encaminhamento dos motivos de abandono das obras do local e qual a destinação dada ao que resta da estrutura ainda existente.

“É muito importante que a gente tenha essas informações pra saber o que está sendo feito. O museu do mangue foi concebido no início dos anos 2000 e nunca foi colocado em prática. Recentemente teve mais um incêndio na região, que hoje é ponto de vandalismo e de drogas. O local tem um potencial gigante e poderia estar desenvolvendo o turismo, gerando emprego e renda para aquela comunidade”, pontuou o parlamentar.

Breno ainda reiterou que a participação da população local é de fundamental importância para que o projeto dê certo. “Para que o Museu do Mangue dê certo é necessário que a gente envolva a comunidade em todo o processo. Dessa forma eles vão se sentir integrados e incentivados à auxiliar na preservação do local. Essa pauta é muito urgente e, por isso, peço a sensibilidade do poder público”, destacou Breno Garibalde.

Museu do Mangue

A construção do Centro de Educação Ambiental Manoel Bomfim Ribeiro (Museu do Mangue) na Coroa do Meio iniciou em maio de 2001. O espaço tinha a proposta de fazer ações com cunho socioambiental para despertar e construir uma memória coletiva, além de preservar o patrimônio do manguezal e as histórias da comunidade. O Museu também tinha o intuito de recuperar o manguezal e criar um laboratório de pesquisas científicas, que funcionaria em parceria com a Fundação Mamíferos Aquáticos e a Universidade Federal de Sergipe. As ações do Museu beneficiariam a comunidade, através de lazer, renda e educação ambiental, como também atrairia turistas para a região.

Deixe uma resposta