Vivo lança programa de desenvolvimento de carreira para colaboradores negros

Ação contará com o apoio de especialistas de mercado para proporcionar empoderamento e ampliação de oportunidades

Com o objetivo de promover orgulho e autoconhecimento racial, a Vivo anuncia a criação de um programa de desenvolvimento de carreira para 100 colaboradores negros em parceria com o Instituto Modo Parités. O curso, com duração de seis meses, tem início em abril – mês escolhido pela operadora para debater o colorismo (discriminação racial baseada em tons de pele) com toda a companhia, e contará com duas turmas de 50 participantes cada. Durante o período do programa, a Vivo terá o apoio de especialistas do mercado que darão profundidade em temas como habilidades comportamentais e competências, sempre com o enfoque no empoderamento para quebrar a barreira estrutural do racismo.

Com o isolamento e os cuidados com a saúde devido à pandemia, os participantes – alguns dos quais integram o grupo de Diversidade de afinidade de raça da companhia – receberão todo o treinamento de forma digital, uma vez por mês. Os colaboradores são dos seguintes Estados: São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Distrito Federal, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

“Queremos que os colaboradores desenvolvam suas potencialidades e valorização racial, além de debater e defender pontos de vista que sejam relevantes para eles e toda a sociedade. Com o aprimoramento de soft skills, certamente estarão mais preparados para aproveitar as oportunidades aqui dentro da Vivo, pois entendemos a importância do aumento da representatividade e do oferecimento de condições igualitárias de desenvolvimento”, diz Niva Ribeiro, VP de Pessoas da Vivo. A executiva destaca também a importância de trazer o colorismo à pauta da companhia. “A partir da discussão ‘quantos tons cabem em um debate’, queremos informar e gerar reflexão sobre o tema e, assim, reduzir vieses e preconceitos para promover a valorização da cultura e identidade negras, combatendo os símbolos de inferioridade que foram direcionados propositalmente ao corpo negro ao longo da história”, destaca.

Para fortalecer a discussão sobre o colorismo, a companhia realizará lives com seus colaboradores e especialistas pelo Workplace by Facebook – rede social interna. A ação faz parte da Jornada Vivo Diversidade, que a cada mês discute com gestores e demais colaboradores um tema diferente, de relevância para a sociedade. Nas redes sociais da Vivo, o tema será abordado sob o ponto de vista do racismo algorítmico – quando algoritmos discriminam imagens ou qualquer conteúdo digital de pessoas negras ou não-brancas -, colocando em pauta a necessidade de ampliação de diversidade no mercado de tecnologia e as consequências das informações enviesadas em bancos de dados nos processos de machine learning e inteligência artificial.

A empresa é fortemente engajada em iniciativas que envolvem a temática racial e possui metas para o aumento da representatividade de negros na companhia, incluindo cargos de liderança; 43% das vagas da última edição do Programa de Trainee Vivo foram preenchidas por candidatos negros – a companhia havia destinado no mínimo 30% das oportunidades para esse público. Em 2020, a Vivo ficou em 2º lugar no índice de Igualdade Racial nas Empresas – IIRE, uma iniciativa da Universidade Zumbi dos Palmares que pesquisou 23 empresas sobre ações afirmativas para redução da desigualdade racial. Além disso, recentemente, a empresa envolveu toda a companhia em um debate sobre letramento racial.

Diversidade e inclusão na Vivo
Em 2018, a empresa lançou o Programa Vivo Diversidade, pautado nos pilares de Gênero, LGBTI+, Raça e PcD, para assegurar uma cultura mais inclusiva e um ambiente mais diverso e representativo. A companhia criou ainda um subcomitê para cada pilar, com a liderança de um vice-presidente responsável por estruturar iniciativas, que ganharam também um grupo de afinidade, onde os colaboradores que se identificam com o tema podem debater e sugerir novas ações.

A empresa carrega um DNA forte e inclusivo, impulsionando o compartilhamento de valor e a transformação positiva da sociedade por meio de uma constante evolução dos critérios ESG (Ambiental, Social e Governança Corporativa, na sigla em inglês) aplicados à estratégia de negócio da companhia. A sólida governança reforça a transparência nas relações com investidores, colaboradores, clientes, comunidade e governo, e pauta ações transformadoras no âmbito social e ambiental.

Publicidade:

 

 

Andreza Vasconcelos

 

 

 

 

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe uma resposta